La Cordonneire – Roteiros Paris

June 21, 2013

Deixei o melhor por último. Assim, o gostinho de quero mais continua vivo em minha memória por mais tempo, esperando pela oportunidade de sentar às mesmas mesas, experimentar os mesmos pratos, ouvindo a mesma música e degustando o mesmo vinho.

La Cor 2

Hoje, vou falar sobre o La Cordonnerie. Este pequenino Bistro fica no mesmo bairro que o Louvre e é uma excelente pedida para um jantar inesquecível depois de uma tarde magnífica em um dos melhores Museus do mundo.
***Dica importante: É indispensável fazer reserva. O Bistrozinho, localizado na Rue St-roch, é o mais pitoresco em que já fui. O chef, também proprietário, cozinha seus deliciosos quitutes franceses em uma cozinha tão pequenina qto a de um apartamento. E se você tiver sorte, sua reserva será feita em uma das quatro mesas que ficam próximas à cozinha vitrine. E o chef (se a noite não for muitooooooo busy), cozinhará conversando com você sobre o cardápio, o modo de preparo, a escolha dos ingredientes e o que mais você se interessar.

Foi assim conosco nas duas noites em que estivemos por lá durante as oito em que passamos em Paris. Sentamos exatamente à mesma mesa as duas vezes. Fomos muito bem atendidos pelo mesmo único garçom e apesar da imensa vontade de escolher os mesmos pratos as duas vezes, as diferentes escolhas fizeram com que nossa vontade de voltar somente aumentasse. Bom, como foram duas diferentes noites, vou contá-las na íntegra. Primeiro uma, depois a outra. Na primeira noite, pedimos ao chefe que todas as escolhas feitas fossem divididas em duas porções, assim, nós dois experimentaríamos um pouquinho de tudo.

A primeira entradinha foi uma sopa musseline de cogumelos e mini raviolinhos de queijo fontina no molho de creme. Nemmmmm preciso falar o quão fantásticas as duas entradas eram. A sopa, desmanchava na boca, como se fosse feita de ar…e a massa era de uma delicadeza sem igual. Depois, de prato principal, eu escolhi Vieiras grelhadas no molho cítrico, com refogado de erva doce e arroz de açafrão. Ro escolheu im guisado de carne vermelha com legumes. As vieiras estavam muito macias mas o que mais me chamou a atenção foi a erva doce refogada…nunca havia cogitado experimentá-las assim!! Divinas! E ao perguntar ao chefe como ele havia feito para abrandar o sabor da erva doce, ele me explicou que primeiro ele ferve o bulbo por alguns minutos na água, antes de acrescentar os temperos e o creme de leite fresco..o guisado de carne também estava com aquele sabor de fazenda, sabe? de que ficou horas e horas cozinhando. Deliciosamente francês. De sobremesa, meu marido escolheu uma banana flambada ao rum que o chef veio preparar na nossa mesa e eu optei pelo mousse de marron glacê, feito com castanha portuguesa. Pude sentir toda a delicadeza de uma das minhas castanhas prediletas, encorpado pela textura de crumbles de bolacha amanteigada no meio.

La Cor 3

Na segunda noite, ficamos realmente tentados à pedir novamente as delícias da primeira vez, mas nos seguramos e optamos por itens diferentes – que diga-se de passagem, foram tão bons quantos os primeiros!!!! E a escolha foi assim: de entradinha, foi refogado de cogumelos selvagens no glaze de balsâmico e foie gras no molho de cacao. Aqui preciso dizer o quão impressionada eu fiquei com a combinação de chocolate e foie gras….pareamento perfeito entre estes dois ingredientes tão únicos e marcantes no sabor e na textura. o chocolate trouxe um leve adocicado ao rico foie gras…mais uma vez, nunca havia imaginado!! de pratos principais, escolhemos filé de peixe ao molho de limão e grãos integrais e filé de frango com batatas coradas e maçã refogada. sinceramente, não saberia te dizer de qual deles eu gostei mais…o peixe estava perfeitamente cozido, muito rico e principalmente, muito fresco…já o filé de frango, eu mais uma vez tive que perguntar ao chefe pois eu nunca havia experimentado um frango que desmanchasse na boca como este. E ele, com toda a cordialidade, me explicou que depois de selar so filés na frigideira bem quente, os mesmo iam para o forno e terminavam o cozimento sendo assados numa temperatura muito baixa, para não dourar ainda mais. Fantástico!! A sobremesa, seguindo a tradição que não poderia faltar, foi a mesma banana flambada para o Ro e um belo prato de queijos com torradas e café expressso pra mim. Simples assim.

La Cor 4

Se estiver interessado em conhecer e quiser fazer reservas, o website é www.restaurantlacordonnerie.com

O dono/chef trabalhou sua vida inteira lá. Ainda adolescente, era aquele único garçom na época em que seu pai era o cozinheiro. Depois que o seu pai faleceu e com muitos anos trabalhando ao lado dele, tomou a dianteira do negócio de família e conseguiu manter o mesmo padrão e prestígio que seu pai construiu. Não bobeie. Como muitos outros bistros, não abre nem de sábado e nem de domingo. Afinal de contas, para se cozinhar e proporcionar prazer aos outros, é preciso proporcioná-los à si próprio e nada melhor do que sábado e domingo off para, de segunda a sexta, se dedicar e fazer o seu melhor!!

Bisou, bisou =]

Fer Flaiban

 

Fotos: Fernanda Flaiban @flaiban

Beijinhos, Paty
Comentários: 0
Compartilhar
filed under: VIDEOS

Deixe seu comentário:

Seu e-mail não será divulgado. Os campos marcados com * são obrigatórios.